Archive for ‘design’

21/09/2012

Noiva por alguns segundos

por littlethingsforyou

Um dos meus vícios se chama; caneca. Se você ainda não é casada nem noiva, agora pode começar o dia com uma aliança “sparkle” no dedo na hora do café. A Perpetual Kid criou uma caneca onde a alça é um anel, ideia super criativa, pontos também para a embalagem que é bem condizente com o produto.

Quero uma!

Anúncios
Tags:
15/06/2012

Na cozinha

por littlethingsforyou

Ultimamente o que faz meus olhos brilharem são utensílios para cozinha, quanto mais coloridos e diferentes mais eu gosto, os de cerâmica me conquistaram.

Fazer listas desejo não faz mal nenhum! Hoje “passeando” pelo site da Crate&Barrel, que by the way faz entrega no Brasil, escolhi três peças que já já estaram na minha bela cozinha.

14/06/2012

Pastis, tem que ir!

por littlethingsforyou

Fiquei sumida por um tempo e peço desculpas por isso, agora voltei pra ficar e prometo não abandonar! Sumi por uma boa causa, tirei férias, arrumei as malas, dei as mãos para minha mamis e fomos para Nova York. Mais um sonho turístico realizado! Não precisa nem dizer que foi sensacional, que a cidade é incrível e que eu quero ir pelo menos 2 vezes por ano agora! rsrs

Voltei com várias dicas e claro vou postar todas aqui.

Chegamos por volta de 10 horas da manhã, pegamos um bus/pegadinha que segundo o vendedor das passagens ele deixava todo mundo em seus respectivos hotéis, não, ele parava na Grand Central Station e de lá tivemos que pegar um taxi para o hotel. Se for sua primeira vez não cai nessa, pega um taxi que a diferença de preço é pequena e vale muito mais a pena.   

Deixamos as coisas no hotel e já saímos pra rua, afinal, a vontade de conhecer a cidade era muito grande. O sol brilhava e era sábado! Começamos pela High Line na 29th, teeeeeem que ir, passamos pelo Chelsea e entramos na 14th para chegar no Meatpacking District, um dos quadriláteros mais descolados de Manhattan, restaurantes deliciosos e aconchegantes, lojas de design, lojas desejo e gente bonita.

Várias pessoas já tinham me indicado o restaurante Pastis, famosinho, foi falado no “O Diabo Veste Prada”, frequentado por celebridades, ele já estava na lista de restaurantes, não resistimos ao cardápio. Comi uma combinação que nunca tinha passado pela minha cabeça antes. Ovos mexidos, salmão defumado e batata frita! Delicioooooso! Salada com burrata e molho de limão para consciência pesar um pouco menos e Stellinha para acompanhar.  Dividimos os dois pratos e ficamos muito satisfeitas, a maioria das vezes a gente pedia um prato e uma salada para dividir e era o suficiente, os pratos são muito bem servidos.

A dica de hoje era para falar do Pastis, se você ainda não foi e vai para NY não esquece de colocar ele no roteiro.

O post ficou um pouquinho grande, mas falar de lá vai ser assim, muitas coisas para contar! Se você nunca foi e não pensava em ir, pode tratar de pensar e executar.

Agora eu posso falar; I love New York!

Delicious!!!!!

O escolhido!

O restaurante! ps: peguei a foto no Google pois acredite se quiser não tenho nenhuma da fachada.

14/06/2012

Vintage & Cool

por littlethingsforyou

Agradeço quando duas cabeças criativas se juntam e lançam algo novo no mercado. Germana Costa (para moi, sempre Gê!) a sócia e amiga Flavia Nogueira abriram a loja virtual Vintage & Cool, a proposta e ter em um só lugar o que tem de mais bacana e descolado, com uma super seleção de acessórios, beleza, decoração, roupa e design, a loja oferece também a seção Desapegos com produtos semi-novos selecionados com todo o bom gosto das duas. Não é um e-commerce qualquer, é O e-commerce e eu indico de olhos fechados! Assim que você sair daqui, clica aqui e passa lá para conhecer e fazer umas comprinhas. Minha lista desejo só cresce!

 

27/03/2012

Pallets

por littlethingsforyou

Temos que aprender a reciclar, não precisa sair por aí catando tudo no lixo, mas não custa dar uma olhadinha em casas de construção, fábricas ou no mercado. Sempre tive uma super atração por móveis que são feitos com pallets e caixas de frutas, daquelas que a gente encontra nos mercados.

Adoro a mistura do rústico com o ar chic que você pode acrescentar a peça, sem contar que não precisa ficar contando para ter um novo móvel, com pouco $ você consegue!

Fiz uma seleção dos meus preferidos!

imagens: Pinterest

Tags:
21/03/2012

Criatividade debaixo d’água

por littlethingsforyou

Super criativa a campanha (de alguns anos atrás) das canetas à prova d’água da PILOT assinada pela agência espanhola Grey.

Tags: , ,
06/02/2012

Recados saborosos

por littlethingsforyou

Viciada em post-it, caderninhos, bloquinhos ou qualquer outra coisa para se escrever, o meu novo desejo da lista de papelaria são esses pacotes recheados de folhinhas em formato de Nacho e biscoitos de Natal.

ps: as folhas tem aroma dos seus sabores.

daqui

Eu quero!!!

 

Tags:
03/02/2012

Live simple!

por littlethingsforyou

Nesse momento em que vivemos, observar os detalhes e valorizar o simples podem ser alguns dos segredos para uma vida mais feliz.

Conhecida por sua grande influência no mundo do design, a holandesa Lidewij Edelkoort dedica a mais de 20 anos seu tempo a estudos sobre o comportamento de consumo em vários países. Sua vida é dividida entre Nova York, Paris e Tóquio de onde antecipa para clientes como Coca-Cola, Lacoste e Nissan quais serão nossos próximos desejos. “As pessoas falam como se eu fosse uma mística, uma adivinha. No entanto, tudo o que faço é prestar atenção no mundo” diz ela. Além de estudar um hábito de consumo, Lidewij procura entender os desejos mais profundos que nos fazem escolher uma determinada colcha ou decidir pintar uma parede de azul.

A revista semestral Bloom e catálogos para seus clientes são as formas como ela apresenta o resultado de suas análises.

Em Paris ela apresentou alguns conceitos sobre essas vontades da qual ela batiza de “cultural”.

1. O dom da luz

A janela é um espaço privilegiado da casa. Ela emoldura a paisagem e funciona como uma ponte entre o que está dentro e o que está fora. Ela convida a sair e traz para a casa um pedaço do resto do mundo. Quando pensar em cortinas, não queira isolamento. Modelos pesados – como os de veludo vermelho do teatro – só são bem-vindos como um jeito inteligente de dividir ambientes, no interior da casa. Nas janelas, cortinas são cúmplices da luz, não seus algozes. Devem ser de fibra natural, para balançarem ao vento, como o vestido de uma criança correndo pelo corredor, depois de um banho fresco no meio de uma tarde de verão. A luz não é um detalhe: ela é a vida por completo. Deixe o sol da manhã acordá-lo, tocando de leve a sua pele. Sinta no seu corpo a alegria de estar vivo.

2. O cuidado dos outros

Talvez você já tenha presenciado a cena de um reencontro de pessoas queridas em um aeroporto e, mesmo sem conhecer os envolvidos, tomado aquela alegria como sua. A explicação para esse sentimento: você faz parte da grande família dos homens. Cada vez que um idoso segurar um bebê no colo ou você tocar a barriga de uma mulher grávida, ou que a mão calejada de um homem segurar delicadamente a de um menino, você vai fixar essa cena em sua mente. Pense na sua família, nos seus amigos, na necessidade que cada ser carrega de trocar experiências e de entrar em contato. Não negligencie a conexão íntima, rústica, que não passa pela palavra. Valorize a simplicidade da amizade entre todos os espíritos – até mesmo com seu cachorro, com um gatinho de rua. Apaixone-se pelo ciclo da vida e compartilhe com o outro a essência desse modo de viver.

3. A beleza do inacabado

Há milênios, os japoneses cultivam uma estética baseada na aceitação da transcendência e do eternamente inacabado. Concebida como a beleza do imperfeito, do impermanente e do incompleto, a filosofia wabi-sabi se expressa no ritual do chá, nos arranjos de ikebana, no exercício interminável de manter um jardim feito de pedrinhas e areia, na qual você desenha e redesenha com a ajuda de um ancinho. Mais do que o resultado final, é o ritual que importa. Amar o inacabado é aceitar que viver não se trata de atingir um objetivo – que, no fundo, a gente nunca chega lá. O que importa é o caminho. Celebre o assimétrico, o instável. Ninguém precisa recuperar o jardim zen que teve um dia para entrar em contato com essa filosofia. O desafio é construir seu jardim zen interno, espiritual. Encontrar o seu ritual eternamente inacabado, que não tenha nenhum objetivo maior a não ser fazer você feliz.

4. A ordem das coisas

Você já percebeu como nossas casas estão cada vez menores? Mas pense bem: por que isso é ruim? Em menos cômodos há mais convivência. Estamos mais perto de quem amamos. Não é uma questão de espaço, mas de organização. Em uma casa menor, só cabe o que importa – então livre-se de tudo o que entulha a vida. Delete o supérfluo. Arquive as memórias. Seus móveis precisam servir para alguma coisa: tenha estantes, use gavetas, crie caixas. Ouse reciclar, acolha os materiais baratos – pense em papel kraft, em caixas de feira, em nichos de madeira. Nutra o hábito de classificar o essencial. Faça da organização um ritual de purificação – não uma penitência. Resuma. E, sobretudo, permita o vazio e o celebre. Ele é um convite à criação.

 5. As habilidades das mãos

Disponha um arsenal sobre a mesa: lápis, lã e agulha de tricô, uma xícara de farinha, um pedaço de tecido. Agora desafie suas mãos a escolher suas armas. Ao ataque: crie. Usar as habilidades das mãos dá sentido à vida. “Muitas vezes ouvi, e tenho certeza de que você também, pessoas dizerem “no dia em que eu tiver meu ateliê, vou pintar quadros”, ou então “vou fazer esculturas…”, diz Li. “Todos nós sabemos que não precisamos de nada disso. Simplesmente vá lá e faça.” Grandes criadores contemporâneos, como o arquiteto italiano Andrea Branzi, concebem móveis nos quais acoplam criações: gravuras, pinturas, esculturas que já vêm como parte de uma estante. Mas logo ao lado há um nicho, um espaço vazio, convidando a ser ocupado por você. Para que comprar, se você pode criar?

6. A cura pelas plantas

Aprenda com as plantas a viver o momento presente. Amanhã a flor pode já ter murchado. Amanhã pode ser que não chova – ou que falte o sol. Aprenda com as plantas a não economizar experimentações. Viva o hoje intensamente. Aprenda a aceitar o eterno ciclo da mudança de estações como uma bênção. Receba cada fase como um novo começo – e não como um novo fim. Tenha em mente que é sempre possível replantar, mudar de terra. Celebre, numa simples mudança de jardineira, a promessa da terra nova. Os budistas dizem que, se pudéssemos perceber claramente o milagre que representa uma simples flor, nossa vida mudaria por completo. Contemple a vida em suas infinitas escalas – da planta inteira, raiz, caule e folhas, ao microcosmo de cada nervura de folha. Cerque-se de plantas, aprenda com elas. Acredite numa vida mais saudável e mais perto do natural, em que as plantas sejam acolhidas numa casa como seres e não como objetos.

7. O sentimento de liberdade

Vivemos uma era nômade, sonhamos com evasão. Queremos ter raízes – mas precisamos poder nos livrar delas de vez em quando. A mobilidade tornou-se uma urgência. Poder mudar permanentemente sua casa de lugar tornou- se o idílio do nosso tempo. “Nas minhas férias, conheci um jovem que viajava por uma rota de praias em seu coupé conversível, luxuoso”, conta Li. “A cada dia ele chegava a uma cidade diferente e instalava ao lado do carro uma minúscula tenda de camping para uma única pessoa, onde passava as noites. No contraste de seu belo carro com esse estilo de vida de uma simplicidade fundamental, extrema, eu vi o sonho contemporâneo de liberdade.” O verdadeiro luxo de hoje em dia é poder ser livre. Dormir numa rede. Não seguir a moda. Desenvolver uma relação mais profunda com os objetos que estão em seu entorno, buscar o essencial. Ter uma vida portátil.

8. Assar o pão

Do cheiro de pão no forno emana a promessa de um belo dia pela frente. Água, farinha, sal e fermento. Nenhum alimento é mais simples. Nada pode ser mais essencial. Toque o relevo da casca, saboreie o barulho que ela faz ao ser partida com as mãos. Experimente a textura do miolo que se desfaz lentamente enquanto uma fumaça suave e quase transparente convida: me saboreie. Ame o cotidiano com o mesmo amor incansável com que todas as manhãs celebramos a nossa paixão pelo pão. Cultive pela vida esta mesma instigante e insaciável fome.

9. A alegria do lar

No fundo, a ideia é esta: a sensação que você tem quando volta de uma longa e cansativa viagem. Você deita na sua cama, encosta a cabeça no travesseiro, coloca sua música preferida para tocar, fecha os olhos e constata: “enfim, em casa”. Ao seu redor estão seus livros favoritos. Seus quadros favoritos. Suas comidas favoritas. Suas pessoas favoritas. Você vai andar de pijama. Vai beber leite. Vai cozinhar. Vai dormir debaixo de camadas e mais camadas do lençol mais macio que tiver. E vai almoçar no chão da sala – se decidir assim. Pense nos seus sonhos de criança, quando tudo o que você queria era morar numa cabana na árvore. O que você levaria para lá? Seu brinquedo preferido, sua comida preferida, seu amigo preferido – e não muito além. É disso que se trata ter uma casa, um refúgio no qual você se reconheça em todos os objetos e móveis.

 10. Patchwork de culturas

Um quimono e um turbante árabe. Uma louça chinesa sobre uma tapeçaria mexicana. O cocar de um índio brasileiro enfeitando uma máscara africana. Artefatos de todos os povos, de todas as épocas, contam as mesmas histórias de valentia, de valores, de respeito. Conectar culturas é celebrar o que existe de comum em toda a humanidade. Antes de os europeus chegarem às Américas, povos indígenas de norte a sul do continente desenvolveram o ikat, uma técnica de tecelagem feita a partir de fios retorcidos. Nunca foi possível identificar onde a tradição começou. Estampas semelhantes e técnicas idênticas surgiram em diferentes pontos do continente americano ao mesmo tempo. “O ikat é a metáfora perfeita das conexões que existem entre as culturas”, ensina Li. “A força espiritual que conecta as diferentes tradições. Um jeito nômade de descobrir conexões e celebrar as ligações invisíveis dos povos.”

06/12/2011

Por pouco tempo

por littlethingsforyou

Falando nos rabiscos… Agora eles são de mentirinha!

Dedicado a crianças e jovens de espíritos, a designer Tina Roth criou um projeto onde tatuagens temporárias são criadas por diferentes designers e vendidas em sua loja online Tattly. Os valores são variados, uma cartela com 2 tattoos custam 5 doláres e eles entregam no Brasil.

Tatuagem de chicletes com design!

Tags: ,
01/12/2011

Listinha de natal – 2

por littlethingsforyou

Papai Noel,

Como eu falei a cartinha só vai crescer!

Os desejos de hoje:

* Conjunto de canetas marca texto Pantone.Elas podem ser compradas avulsas ou o kit com 12, 24, 36, 72 e 150, pode ser um kit de 72!

* Anel do Yoon Jung Yun com mensagens no interior que ficam marcadas no dedo. Ahh! Será que esse poderia ser entregue por um homem alto, loiro e dos olhos verdes?

Marry me. Ownnn

<3

Um beijo,

Tati